Alimentos Sazonais — A Romã

No jornal Acushla continuamos com o nosso capítulo dedicado aos alimentos da época, falando hoje daquela que é um marco da estação: a romã.

A romã é um fruto único, não só pelos seus inúmeros benefícios para a saúde, mas também por concentrar uma mística especial.

Romã

Efetivamente, a romã tem uma importância milenar e é merecedora de várias referências em documentos e descrições ao longo da história. Na mitologia grega, por exemplo, é consagrada à deusa Afrodite e nos textos bíblicos é associada à terra prometida, tendo assim uma simbologia que remete para a fertilidade, amor, sorte e eternidade.

Na verdade, e devido à sua composição nutricional, todas estas características auspiciosas da romã também se verificam em termos de saúde. Sendo um fruto, e não fugindo à regra, é rica em água, vitaminas (especialmente vitamina C e A) e minerais (como o ferro), apresentando também um baixo valor energético (ou seja, poucas calorias). Contudo distingue-se (ou destaca-se!) pelo seu considerável conteúdo em fibra e em outros importantes compostos, como os polifenois.

Entre a grande variedade de compostos presentes na romã sobressai o ácido elágico (fortes propriedades antioxidantes), e também as antocianinas, flavonóis e flavonas, que parecem ser os grandes responsáveis ​​pela maior parte dos benefícios terapêuticos.

De entre estes benefícios, sobressaem os efeitos comprovados ao nível cardiovascular, com a prevenção da oxidação do colesterol LDL (aumento do “mau” colesterol), da hipertensão arterial e da aterosclerose (e consequentemente da formação de trombos).

A riqueza em polifenois faz com que sobressaiam também os seus excepcionais poderes antioxidante e anti-inflamatório, que se têm revelado importantes na redução da sintomatologia de algumas doenças inflamatórias, como a artrite e doenças inflamatórias intestinais.

Adicionalmente, o consumo de romã tem também sido associado à prevenção de alguns tipos de cancro (como o cancro da mama e cancro da próstata), e também ao controlo de doenças como a diabetes tipo 2.

No que respeita à inclusão de romã na nossa alimentação, os seus bagos podem ser consumidos ao natural, integrados na máxima das 5 porções de hortofrutícolas ao dia (considere os bagos de uma romã uma porção), pode consumi-los em sumos ou pode ainda incluí-los nos seus pratos (particularmente nas saladas) de uma forma criativa.

Por todos estes benefícios, nas celebrações de Natal e Ano Novo não se esqueça da romã. Se não trouxer a sorte que lhe atribuem, trará certamente saúde à sua mesa!

 

Inês Pádua (Nutricionista)
0 replies

Leave a Reply

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta