Azeite Virgem Extra – Presença Obrigatória na Dieta Mediterrânica

A Dieta Mediterrânica distingue-se de todas as outras dietas por ser um modelo de alimentação que não prioriza o controlo de peso, mas sim o estilo de vida saudável e equilibrado.

A sua designação provém de um estudo realizado na década de 40, que constatou uma menor incidência de doenças cardiovasculares, cancros, hipertensão, diabetes e obesidade nos países do mediterrâneo, comparativamente com outros cantos do mundo. Facto que se deve à tradição alimentar levada a cabo nessa área.

pão com azeite e mel

Como começar uma dieta mediterrânica?

Em primeiro lugar, saiba que seguir esta dieta significa saber escolher o que se come e o que se deve evitar. Por isso, deve-se optar por alimentos frescos da região e da época, de preferência sem qualquer tipo de processamento químico.

Para auxiliar este modelo de alimentação saudável, a Fundação Dieta Mediterrânica disponibiliza uma pirâmide alimentar que reflecte as proporções adequadas à ingestão de cada tipo de alimentos. Deste modo é aconselhado o consumo diário de azeite, legumes, cereais, frutas e vegetais e o consumo regular de peixes, aves e ovos. Por outro lado, a carne vermelha e os doces devem ser evitados sempre que possível. Nesta região também é frequente a utilização de ervas aromáticas, especiarias, cebola e alho, que para além de proporcionar uma diversidade de aromas e sabores, também contribui para a redução da adição de sal.

Aliada a estas directrizes alimentares, é importante a prática de exercício físico e de descanso adequado, de forma a ser possível levar uma vida equilibrada e saudável.

Por fim, em termos culturais e sociais, a Dieta Mediterrânica abrange ainda o conceito de convivência aliada às actividades culinárias, de forma a promover o bem-estar em família, tornando a culinária uma prática relaxante e divertida, feita em família ou com os amigos.

ALIMENTOS

Azeite

O principal ingrediente da Dieta Mediterrânica é o azeite virgem extra. Entre os benefícios do azeite, destacam-se os seus poderes antioxidantes e a reduzida formação de radicais livres responsáveis pelo envelhecimento e por doenças degenerativas. Além disso, devido ao facto de ser uma gordura monoinsaturada, o azeite contribui para evitar o depósito de mau colesterol dentro das artérias.

De destacar que, para além destes benefícios para a saúde, o azeite proporciona um excelente sabor à sua comida.

Frutas e vegetais

Praticamente todas as dietas saudáveis incluem bastantes vegetais e frutas.
Na Dieta Mediterrânica, estes alimentos são consumidos em grande escala, nomeadamente os legumes, frutas secas e frutas frescas, pois contêm bastantes nutrientes, que para além de complementar perfeitamente a sua refeição, ajudam na prevenção das mais variadas doenças.

Durante a sobremesa e o lanche opte pela fruta e evite os bolos, bolachas e biscoitos, que são carregados de um elevado teor energético e pouco valor nutricional.

Cereais

Os alimentos provenientes do trigo, centeio, aveia, cevada e milho, aliados às massas, arroz e às batatas, constituem a principal fonte energética para o correcto funcionamento do nosso organismo.

O pão é um dos principais constituintes da Dieta Mediterrânica, contudo diferencia-se pelo recurso a farinhas pouco refinadas, ou seja, com menor processamento químico e com mais vitaminas e nutrientes.

Peixe, aves e ovos

O consumo de peixes gordos como a sardinha, o atum, o salmão, a cavala e a truta, apresentam importantes benefícios para a saúde. A gordura destes peixes é rica em ómega 3 e em vitaminas lipossolúveis que são excelentes para o cérebro, para o coração e ajudam na absorção e fixação de cálcio nos ossos. Contudo, coza ou grelhe o peixe, mas não o frite.

O consumo semanal de peixe, tal como o consumo de aves e ovos é bastante recomendado. Por outro lado, a carne vermelha deve ser evitada sempre que possível, pois esta contém bastantes gorduras saturadas, prejudiciais para o coração.

Lacticínios

Ingira diariamente lacticínios, preferencialmente sob a forma de iogurtes ou queijos.

Vinho e Água

O vinho tinto, bebido com moderação e aquando das refeições principais, é um dos complementos da Dieta Mediterrânica. O consumo de água também é importante na medida em que é essencial para a manutenção do equilíbrio dos fluídos corporais. Deste modo, deve beber 1,5 a 2 litros por dia, seja através da ingestão de água ou sob a forma de infusões de ervas, preferencialmente sem adição de açúcar.

Actualmente, Portugal espera a aprovação da candidatura da Dieta Mediterrânica Portuguesa para Património Imaterial da Humanidade, juntando-se assim a outros países mediterrânicos como a Espanha, Grécia, Itália e Marrocos.

Para Portugal, a Dieta Mediterrânica é um elemento cultural muito importante, pois enquanto produtores mediterrânicos, pretendemos valorizar e promover os nossos produtos, os benefícios que estes proporcionam, a economia, o turismo e a gastronomia que nos caracteriza.

http://www.rtp.pt/noticias/index.php?article=653413&tm=8&layout=122&visual=61






0 replies

Leave a Reply

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta